Sobre pausas…

Recentemente me vi às voltas combatendo o famigerado SARS-CoV-2, lutando para me livrar da COVID 19 (ainda bem que nem vi as outras 18), passando por internação e repouso para poder voltar às minhas atividades cotidianas.

Costumo dizer que enquanto estamos no olho do furacão não enxergamos nada que possa nos levar a outros pensamentos ou visões diferentes daquilo que está acontecendo. E assim foi comigo enquanto estava no hospital.

Ao sair do hospital, em casa, de repouso, aproveitei para fazer reflexões sobre aquilo que estava acontecendo. Aliás, deitado, enfraquecido, só me restava refletir, rezar e ler, uma vez que o ato de subir ou descer a escada de casa, por exemplo, me causava grande cansaço e desconforto.

Uma das reflexões que fiz foi o fato de que um ser microscópico, um vírus, é capaz de colocar de joelhos toda a humanidade. Aliás, fiquei pensando no quanto a arrogância humana vem sendo derrubada por este ser e como nós deveríamos repensar nossas atitudes para o mundo à nossa volta.

Outra reflexão é de que não existem fronteiras para o vírus. A humanidade toda corre o mesmo risco, independentemente de sua localização geográfica. Sendo assim, o ser humano deveria ser mais solidário para seu próximo, deixando de lado o EGOísmo e outras práticas que só dividem a humanidade.

Mas, entre uma reflexão e outra me chegou a questão que ali estava eu, deitado, “descansando” por ter recebido uma pausa em minha vida, minha correria profissional e minhas atividades cotidianas. Como costumo brincar, todo Superman tem seu dia de Kryptonita.

Não gostamos de pausas, de parar forçadamente diante de uma doença; porém, na correria diária, muitas vezes esquecemos de parar, respirar e afiar nosso machado como na história a seguir:

 

Certo lenhador experiente foi desafiado por um forte jovem para uma disputa onde veriam quem cortaria mais árvores (fiquem tranquilos que não era na Amazônia e sim em uma floresta fictícia).

Combinaram uma área igual para os dois e começaram a cortar as árvores.

O jovem, com toda sua força e energia derrubou várias árvores sem parar e se empolgava ainda mais ao olhar para o velho lenhador que parava em vários momentos para descansar.

No final do dia, qual não foi a surpresa do jovem ao ver que o idoso lenhador experiente tinha vencido a disputa, cortando muito mais árvores.

Inconformado, o jovem perguntou: “Mas como o senhor fez para cortar mais árvores que eu, mesmo parando tantas vezes para descansar?”.

E o lenhador experiente respondeu: “Eu parava para afiar o meu machado, jovem. Quantas vezes você parou para afiar o seu?”

 

Quantas vezes nos empolgamos naquilo que estamos fazendo e não paramos para descansar, aprender coisas novas ou refletir sobre nossas atitudes?

Pausas são necessárias para que possamos recuperar nossa energia, afiar nosso machado e nos prepararmos para os novos desafios ou ainda para dar continuidade àquilo que iniciamos, que estamos fazendo.

Quantas vezes nos permitimos parar e respirar para seguirmos em frente?

Durante a convalescência (que ainda segue para plena recuperação pulmonar!!!) buscava o ar e sentia a dificuldade de respirar, algo tão cotidiano e que acabamos não dando a devida importância: o entrar e sair do oxigênio que recebemos de graça (e que contribuímos para poluir). O ar que respiramos, que nos dá a vida é algo que precisamos valorizar, não quando ficamos doentes, mas no cotidiano de nossas vidas.

E acredito que, como necessitamos de pausas e, teimosamente, insistimos em não parar, Deus ou como vocês queiram chamar, nos faz parar, nos faz refletir para que, durante as pausas, afiemos nossos machados para dar continuidade às nossas missões e tudo aquilo que ainda temos que cumprir nesta existência.

A vida é a maior dádiva e precisamos aprender a fazer nossas pausas justamente para podemos aproveitá-la plenamente.

Deixo aqui a minha gratidão a todos que estiveram presentes em preces, vibrações, ajudas materiais para que eu, após afiar meu machado, estivesse de volta à todas as minhas atividades do dia a dia.

E você, tem afiado o seu machado?

 

Prof. Dr. Robson Santos

Coach e Terapeuta

24 thoughts on “Sobre pausas…

  • Robson Deus te abençoe sempre,bom seria se todo o ser humano que passa por dificuldades seja na saúde, sentimental ou profissional fizesse reflexões e se tornassem gratos pelas superações .VOCÊ É UM HOMEM ILUMINADO.

  • Boa reflexão Prof Robson! Temos tempo para tudo mas não descansamos nem valorizamos o que temos… Como diz um texto sagrado : há tempo para tudo. O mundo havia entrado num frenesi de trabalho e foi barrado por esse virus que nos mostrou que somos quase nada… Um barco a deriva mo mar. A qualquer momento : Tudo Pode Mudar ! E isso é para todos!
    Bom saber que voltou a “ativa”.
    Desejo uma “suave reentrada na nave “

  • Como podemos encontrar tbem as dádivas divinas mesmo em meio às tempestades, Robson! Fiquei muito feliz com a sua recuperação. Desejo muito que o contato cotidiano com o ar e com o conforto que traz a nossa respiração, com atenção plena, esteja presente em vários momentos de nosso dia.

  • Professor Robson, magnífico exemplo o seu, que aproveitou a pausa para reflexões tão essenciais ao ser humano. Parabéns mais uma vez, por sua lucidez, consciência clara e tanta empatia e amor no coração, que compartilhou conosco não as suas dores e desconfortos físicos, mas seu espírito direcionado à luz, ao Bem. Sou sua fã sempre! Um enorme abraço! Deus abençoe sua vida!

  • As vezes é preciso parar com essa vida corrida e refletir, pensamos que não temos tempo, mas Deus nos mostra que sim. Feliz é aquele que tem essa oportunidade e sabe utilizá-la. Parabéns Robson!!! Você é esse felizardo

  • Rob, amigo querido…sempre bom ler-te! Inspiração para nossa caminhada. Sordade grande de tu!!!
    Poxa! Triste e preocupada que tenhas passado pela covid.
    Cuide-se! Quero poder abraçar-te muitas vezes!
    Tua Frô Cherosa, cheirin

  • Professor, belíssimo texto, tão próprio para esse momento em que vivemos.
    Feliz em ver você recuperando sua saúde. Abraço!

  • Oi Robson que bom que está melhor. Às vezes precisamos dar um passo pra trás para darmos dois juntos pra frente. Em meio a essa pandemia tiramos lições de que precisamos sermos humildes e reconhecer que não somos super heróis. Precisamos de ajuda tb é somos frágeis. Precisamos nos amarmos mais e tirarmos o nosso precioso tempo para descansar tb. Melhoras pra vc. Um abraço.

  • Senti na pele, essa pausa obrigatória! E, tudo o que fica, é um grande aprendizado e um chamado Par afiarmos nossos machados!
    Gratidão por compartilhar essa Linda reflexão!
    Beijos, saudades,
    AMO VOCÊ!

  • Robson , estou super feliz dessa Vitória e por estar aí conosco na caminhada. Vc tem muito trabalho por aqui e tb para o próximo. Sou sua fã. Se cuide sempre.

  • Boa noite professor Robson, muito linda sua reflexão, amei e fiquei muito emocionada ao ler, fico feliz de saber que vc está bem graças a Deus. Tbm tive covid, mais digo que Deus foi muito generoso comigo, pois os sintomas que tive não foram muito agressivos, pois só tenho a agradecer. Muito feliz por vc voltar a ativa, estamos te aguardando ansiosamente, que Deus continue abençoando a sua vida, e maravilhoso tê-lo de volta, seja bem vindo novamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *